Guarapari | Praias | O que fazer? | Dicas de passeios e Pontos Turísticos

Reunimos dicas para você curtir o melhor de Guarapari!

Parques Aquáticos Pesseio Histórico Praias

PARQUES AQUÁTICOS

ACQUAMANIA


Parque aquático e temático o Acquamania foi inaugurado em 18 de fevereiro de 1995, com o propósito de ser diversão para famílias e atender aos milhares de turistas que visitam Guarapari-ES. Com mais de 200.000 m2 de implantação e dividido em 7 áreas temáticas realça aspectos históricos e geográficos da historia do Brasil e capixaba.

O projeto de arquitetura priorizou a topografia local e seus diversos planos, dando a cada atração seu cenário próprio e ao parque personalidade de um produto exclusivo e surpreendente. O cuidado com a sustentabilidade e preservação ambiental foram os eixos principais em torno do qual o projeto se desenvolveu.

Mais informações: ACQUAMANIA

ImageSimple

PASSEIO HISTÓRICO

ImageSimple

MATRIZ DA CONCEIÇÃO


Construída em 1585 pelo padre José de Anchieta, no alto de uma colina, esta igreja deu início ao povoamento de Guarapari, sendo marco da fundação da Cidade. Sua estrutura é de pedras sobre postas e uma argamassa feita com areia, conchas trituradas, barro e óleo de baleia ou vegetal.

O jesuíta fundou ali uma capela e posteriormente uma residência, destinada a seus coirmãos da Companhia de Jesus. Foi erguida possivelmente sob a invocação de Sant' Ana e do Sagrado Coração de Jesus, ou também de Santa Maria. Quase 170 anos depois passou a homenagear Nossa Senhora da Conceição. No auto escrito em homenagem a Sant' Ana, na inauguração da igreja, o jesuíta instituiu Nossa Senhora da Conceição como padroeira da aldeia.

Esta edificação também é conhecida como Igreja das Conchas devido às conchinhas que revestem as paredes externas, entretanto hoje não é possível visualizar esses detalhes, devido a reformas que as encobriram. No colégio-residência, anexo à igreja, hospedaram-se os primeiros padres formados no Espírito Santo e no Brasil.Em 1878, seu frontão comum e triangular recebeu revestimento neo-barroco do séc. XVIII. Em 1970, o telhado foi restaurado e dois altares laterais que não eram originais, foram retirados. È tombada pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) como patrimônio nacional. A igreja possui um grande acervo sacro, com peças do século XVIII. Está localizada na Rua João Cavati, s/nº, Centro, também conhecido como Morro da Igreja.

POÇO DOS JESUÍTAS


Chamado pelo povo de “poço da fonte” ou “Poço de Beber”, nascente água, com aproximadamente 0,40 cm de profundidade, tem o formato de cúpula. Feito com pedras sobre postas e uma argamassa feita com areia, conchas trituradas, barro e óleo de baleia ou vegetal. É o único que resta dos vários construídos pelos jesuítas do Séc. XV. Era usado pela população quando faltava água na cidade.

ImageSimple
ImageSimple

RUÍNAS DA IGREJA


A igreja dedicada a Nossa Senhora da Conceição, foi construída pelo donatário da capitania Francisco Gil de Araújo, em 1677 com pedras sobrepostas, unidas por argamassa feita de barro e areia, conchas trituradas e óleo de baleia. Nunca chegou a ser totalmente construída, pois pegou fogo.

Desta igreja restam apenas a ruína e o campanário (torre onde se encontram os sinos), reconstrução de 1817. O frontim caiu depois de um temporal em 1998. Suas ruínas já foram utilizadas como cemitério, no meio do século, como horta pelos alunos da primeira escola da cidade Grupo Escolar Zenóbia Leão e como cadeia. O monumento foi tombado pelo Conselho Estadual de Cultura- CEC- 26/11/1984. Processo nº 049/88- CEC, tombado em 29/11/1989, inscrito no Livro Tombo Histórico, às pág. 29v e 30, sob o nº 173.

CASA DA CULTURA


Construída em 1749, foi antiga sede da Prefeitura, da Câmara e cadeia pública. Fica localizada na Praça Jerônimo Monteiro, onde nessa época era coberta de relva verde, com cais e ancoradouro para balsas e canoas. Passou por uma reforma a fachada lisa e simples que era o estilo original, foi enriquecida por um ornamento caprichoso de estilo árabe.

O prédio foi abandonado mais uma vez entre 1967 a 1971, e entra em decadência e acabou sendo ruído. Tendo a reconstrução no final de 1988, quando sem o menor pudor foram derrubadas paredes seculares, ficando apenas as paredes laterais e as fachadas, descaracterizando e perdendo todo seu valor histórico podendo apenas ser tombado apenas pelo Patrimônio Afetivo do Município. Hoje abriga a biblioteca municipal.

ImageSimple
ImageSimple

GRUTA DE SANTANA


Conhecida também como Grutinha e localiza-se subindo o Morro da Igreja pela Ladeira Don João Cavati, encontramos a Grutinha, construída em 1994 pelo Sr. Joaquim Leopoldino Lopes.

Nesta Gruta, construída de pedras, existia uma imagem da 1ª Padroeira de Guarapari, Sant’Ana e N. Senhora Menina, imagem do séc.XVI, que hoje se encontra no Museu de Anchieta. Num nicho, na parte externa, existia uma imagem de N. Senhora de Lourdes e Bernadete, Hoje está no museu da antiga Matriz. Abandonada e em ruínas por alguns anos foi restaurada e entregue á comunidade no dia 18 de setembro de 1991, como Patrimônio Afetivo do Município.

Hoje, pode-se admirar em seu interior, um quadro de Sant’ Ana e N. Senhora Menina, pintado por Padre Antônio Nunês. Bem conservada e ganhou uma escadaria facilitando o acesso dos visitantes.

RADIUM HOTEL


Teve sua construção iniciada em 1947, inicialmente para ser uma Escola Naval (possui o formato de âncora) em uma área de 10.000m quadrados, em frente à Praia da Areia Preta no Centro da cidade. Mas, sua localização privilegiada e a beleza paisagística despertou o interesse de uma empresa que arrendou o imóvel do estado, transformando-o em um hotel cassino de padrão internacional. Sua inauguração foi em dezembro de 1953, como um dos mais chiques hotéis cassino do país. Com a proibição dos jogos em 1964, o hotel entrou em decadência e foi tombado pelo patrimônio histórico afetivo.

Não há serviços oferecidos, somente é possível apreciação visual externa. Em 01/07/1990, o Conselho Estadual da Cultura formou uma comissão e o hotel está protegido desde 1998. Hoje sua administração é de responsabilidade do Governo do Estado do Espírito Santo.

ImageSimple

PRAIAS

ImageSimple

PRAIA DAS VIRTUDES


Praia urbana e faz parte das praias que englobam o circuito histórico cultural da cidade. Pequena enseada, com areias grossas e douradas de mar azul e águas limpas. Reza a Lenda que a praia da Virtude já foi local de banho de freiras, que por ser mais escondido poderia dar uma maior privacidade a elas. Subindo as pedras na praia é possível avistar as salinas, e um pouco antes delas quando a maré está baixa forma-se uma pequena prainha sem ondas, ótima para crianças. Durante a segunda guerra mundial, essas salinas foram muito importantes, pois serviram para abastecer todo o comércio local.A água era captada por um cata-vento.

Atualmente é toda urbanizada, com calçadão, iluminação noturna, um quiosque que serve bebidas e petiscos e uma pracinha com quadra de vôlei.

Infra-estrutura da orla: Quiosques, praças

PRAIA DOS NAMORADOS


É uma das mais famosas e românticas praias urbanas de Guarapari, é separada da Praia das Castanheiras pela Pedra do Trampolim, praia pequena e de águas calmas. Seu nome vem de uma antiga lenda sobre um casal que se enamora devido à magia do lugar. A praia dos namorados é fornada por um conjunto de recifes denominados: Pedra do Calhau: É uma ilhota, na Praia dos Namorados;

Pedra do Trampolim: Separa as Praias dos Namorados e Castanheiras. Ali, antigamente, havia dois trampolins que eram a alegria da rapaziada. Esta pedra tem um sulco natural, o conhecido "talho", usado para se mergulhar na praia.

Infra-estrutura da orla: Quiosques e restaurantes.

ImageSimple
ImageSimple

PRAIA DAS CASTANHEIRAS


Considerada uma das melhores praias urbanas da cidade, tem águas claras e muito calmas, formando piscinas naturais protegidas por recifes, ideal para se mergulhar, deixando o local apropriado para a descontração da família, que pode liberar os pequeninos para brincar na água ou fazer os castelos de areia que é o sonho de toda a criança.

Destaque para o grande sombreiro natural formado por várias castanheiras que servem de proteção para banhistas tanto na praia quanto no calçadão, tem boa estrutura bares e iluminação que atraem também aqueles que querem apenas curtir a paisagem.

Infra-estrutura da orla: Algumas barraquinhas no calçadão e iluminação noturna.

PARQUE PAULO CÉSAR VINHA


Localiza-se em Setiba sendo criado para proteger espécies de plantas e animais que estavam sendo ameaçadas pelo desmatamento e também para ser um lugar aberto a visitas, pesquisa e conhecimento. Com cerca de 1500ha de praias, florestas, lagoas, dunas e alagados, faz parte da Área de Proteção Ambiental - APA de Setiba - tem uma parte terrestre que abrange o Parque e uma parte marinha que abrange o arquipélago das três ilhas.

No parque há três lagoas, sendo que o maior destaque é a de Caraís (área aproximada do espelho d’água: 32,6ha) que em determinadas épocas do ano tem abertura para o mar, permitindo assim trocas de água e nutrientes, favorecendo a flora e a fauna do local. Há dunas com mais de 15m de altura, móveis pela ação do vento que, associadas as planícies de restinga e planícies alagadas compõem um complexo quadro, permitindo a ocorrência de inúmeras espécies. Há uma rica vegetação de Mata Atlântica litorânea a manguezais, passando por mata de restinga e planícies cactáceas, entre outras.

ImageSimple

Encontram-se mais de 120 espécies de aves como o martim-pescador, cancará, gavião, garças, cancan e espécies raras como a cegonha ou maguri. Consideradas extintas no Espírito Santo desde 1981, segundo o ambientalista Augusto Ruschi (1915-1986), baleias franca, mamíferas como cachorro do mato, veado, paca, tatu, mão-pelada, gambá, sagüi-cara branca, além de anfíbios, moluscos, crustáceos, répteis, ofídios e peixes.

Há serviços de informações, de limpeza e de segurança, instalações sanitárias e alojamento com cozinha para pesquisadores, não adaptados, guia de turismo/condutor e estacionamento.

Site: IEMA Telefone: (27) 3242.3665/9727.6295 (parque) / 3136.3469 (IEMA) Horário de Funcionamento: Sob agendamento prévio Visitação: áreas delimitadas pela administração do parque

ImageSimple

PRAIA DA AREIA PRETA


Localiza-se em Setiba sendo criado para proteger espécies de plantas e animais que estavam sendo ameaçadas pelo desmatamento e também para ser um lugar aberto a visitas, pesquisa e conhecimento. Com cerca de 1500ha de praias, florestas, lagoas, dunas e alagados, faz parte da Área de Proteção Ambiental - APA de Setiba - tem uma parte terrestre que abrange o Parque e uma parte marinha que abrange o arquipélago das três ilhas.

No parque há três lagoas, sendo que o maior destaque é a de Caraís (área aproximada do espelho d’água: 32,6ha) que em determinadas épocas do ano tem abertura para o mar, permitindo assim trocas de água e nutrientes, favorecendo a flora e a fauna do local. Há dunas com mais de 15m de altura, móveis pela ação do vento que, associadas as planícies de restinga e planícies alagadas compõem um complexo quadro, permitindo a ocorrência de inúmeras espécies. Há uma rica vegetação de Mata Atlântica litorânea a manguezais, passando por mata de restinga e planícies cactáceas, entre outras.

Encontram-se mais de 120 espécies de aves como o martim-pescador, cancará, gavião, garças, cancan e espécies raras como a cegonha ou maguri. Consideradas extintas no Espírito Santo desde 1981, segundo o ambientalista Augusto Ruschi (1915-1986), baleias franca, mamíferas como cachorro do mato, veado, paca, tatu, mão-pelada, gambá, sagüi-cara branca, além de anfíbios, moluscos, crustáceos, répteis, ofídios e peixes.

Há serviços de informações, de limpeza e de segurança, instalações sanitárias e alojamento com cozinha para pesquisadores, não adaptados, guia de turismo/condutor e estacionamento.

Site: IEMA Telefone: (27) 3242.3665/9727.6295 (parque) / 3136.3469 (IEMA) Horário de Funcionamento: Sob agendamento prévio Visitação: áreas delimitadas pela administração do parque